Critérios para ser uma doadora de cordão umbilical para a rede pública

A gestante tem que atender a critérios específicos. Dentre eles, ela deve ter entre 18 e 36 anos, 11 meses e 29 dias (menos de 37 anos), ter feito no mínimo duas consultas de pré-natal documentadas, estar com idade gestacional acima de 35 semanas, no momento da coleta, e não possuir, no histórico médico, doenças neoplásicas (câncer) e/ou hematológicas (anemias hereditárias, por exemplo).

O sangue é somente coletado mediante o consentimento materno. As mães que permitirem a doação, obrigatoriamente, necessitam se consultar no período pré-natal e responderão ao questionário com informações sobre seu histórico familiar.
As mulheres são acompanhadas durante seis meses após o nascimento da criança, a fim de se constatar se houve algum problema com a mãe ou com o bebê, como infecções não percebidas no parto. Caso tenha ocorrido alguma anormalidade, a unidade de sangue será descartada.

Fonte: Site INCa

Saiba Mais

- Banco de cordão umbilical: Brasil busca auto-suficiência

- Perguntas e respostas com Dr. Luiz Fernando Bouzas, do INCa

- Veja como funciona atualmente o processo de criopreservação das células-tronco de cordão umbilical no INCa, no Rio de Janeiro

- Saiba as etapas para a construção do novo Centro de Transplante e a inovação tecnológica do INCa

- Como funciona a tecnologia Bioarquivo

- Legislação envolvendo células-tronco de cordão umbilical

- O que é Brasilcord?

- Artigo do Diretor do Centro de Transplante de Medula Óssea, do Instituto Nacional do Câncer, Luís Fernando S. Bouzas. "Transplante de Medula Óssea em Pediatria e Transplante de Cordão Umbilical

- Veja.com: O que fazer com o cordão umbilical? - Coluna da pesquisadora Mayana Zats na Veja.com discorre sobre o armazenamento de células de cordão umbilical.